lunedì 21 luglio 2014

Dati scoraggianti per la economia brasiliana nel 2014



L'economia brasiliana è in evidente affanno . E' l'ottava volta che la previsione del PIL 2014 viene rivisto al ribasso . Oramai siamo sotto l'1% che per l'economia di un Paese Emergente è come dire essere in recessione . Inoltre l'inflazione è ai valori massimi della meta : 6.5% , nonostante la cura da cavallo che ha portato il tasso di interesse  all'11% .

I numeri sono disarmanti anche nel 2015 ma in economia spingersi troppo in avanti nel tempo è un grande azzardo soprattutto per il Brasile .

E' finita l'epoca delle politiche sociali del PT ? Non lo sappiamo ma certamente è finita la fortuna del PT che si è trovato a governare in un periodo d'oro per tutti gli emergenti ad incominciare dalla locomotiva Cina . 

E ne sono tutti coscienti tanto è vero che la stessa Dilma ha dovuto rinunciare al suo sogno di presidenza della Banca dei BRICS pur di far decollare questo potente strumento di sviluppo . 

Per noi residenti la situazione è da tenere sotto controllo anche se a breve non succederà nulla di eclatante . Un tasso di juro elevato da un lato è ottimo per chi vive di rendita finanziaria ma solo con una inflazione stabile o in diminuzione .

Per chi vive con il turismo ( e sono tanti ) la non risolta crisi in Europa era stata compensata dall'aumento del turismo interno . Tuttavia con l'arrivo della crisi anche in Brasile meno brasiliani saranno disposti a viaggiare ed i ricavi ne risentiranno .

Altro elemento da non sottovalutare è il potenziale aumento della criminalità dovuto alla riduzione di posti di lavoro per i giovani anche se la maggior parte dei crimini avvengono principalmente per regolamento di conti tra piccoli spacciatori .

Un fatto è certo , se le cose non cambieranno in meglio nei prossimi anni quelle di Ottobre potrebbero essere le ultime elezioni in cui vince (? ) una coalizione dominata dal PT . 



A economia brasileira deve crescer menos de 1% este ano, segundo os economistas do mercado financeiro. É a primeira vez que a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano fica abaixo dessa marca. De acordo com o relatório de mercado (Focus), divulgado pelo Banco Central, a previsão para o PIB caiu de 1,05% para 0,97%. Foi a oitava queda seguida.

As previsões do mercado financeiro, coletadas pelo BC por meio de pesquisa com mais de 100 instituições financeiras na semana passada, confirmam o cenário de desaceleração da economia brasileira. Em 2013, o PIB registrou crescimento de 2,5%. Para 2015, a previsão do mercado de alta do PIB ficou estável em 1,5%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos em território brasileiro, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o crescimento da economia.

Para conter a inflação, o BC subiu os juros entre abril do ano passado e maio deste ano, influenciando também o ritmo de atividade. Com taxas maiores, há redução do crédito e do dinheiro em circulação, assim como do número de pessoas e empresas dispostas a consumir, o que tende a fazer com que os preços caiam ou parem de subir.

No fim de maio, o IBGE informou que a economia do país registrou expansão de 0,2% nos três primeiros meses de 2014, em relação ao quarto trimestre de 2013, com destaque para o bom desempenho da agropecuária.

A expansão do PIB do país previsto para 2014 pelo mercado financeiro, de 0,97%, continua abaixo do estimado no orçamento federal, de 2,5%, e também menor que a previsão divulgada pelo Banco Central na semana passada, de alta de 1,6%.

Menos inflação


O mercado financeiro também previu menos inflação para este ano. Os economistas dos bancos reduziram de 6,48% para 6,44% sua previsão de 2014 para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país e calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Pelo sistema que vigora atualmente no Brasil, a meta central tanto para 2014 quanto para 2015 é de 4,5%. Entretanto, há um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Desse modo, o IPCA pode oscilar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.Com isso, o valor se distanciou um pouco do teto de 6,5% do sistema de metas de inflação para o ano. A previsão chegou a ultrapassar o teto em abril, mas depois recuou. Para 2015, a expectativa dos economistas dos bancos para o IPCA, porém, subiu de 6,10% para 6,12%.

Para o fim de 2015, a previsão dos analistas para o juro básico da economia permaneceu em 12% ao ano.

Taxa de juros

A previsão do mercado financeiro para a taxa básica de juros (Selic) da economia brasileira, por sua vez, foi mantida em 11% ao ano até o fechamento de 2014. Na semana passada, o BC manteve a taxa estável neste patamar pelo segundo encontro seguido do Comitê de Política Monetária (Copom).

Câmbio, balança comercial e investimentos estrangeiros

Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2014 recuou de R$ 2,39 para R$ 2,35 por dólar. Para o término de 2015, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio ficou estável em R$ 2,50 por dólar.

A projeção para o superávit da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações) em 2014 permaneceu em US$ 2 bilhões na semana passada. Para 2015, a previsão de superávit comercial subiu de US$ 9,4 bilhões para US$ 9,8 bilhões.

Para este ano, a projeção de entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil permaneceu em US$ 60 bilhões. Para 2015, a estimativa dos analistas para o aporte de investimentos estrangeiros ficou estável em US$ 55 bilhões.

Fonte : Globo 

sabato 19 luglio 2014

Dopo la Copa 2014 si tiene in Brasile la RoboCup 2014 : gareggiano i robot calciatori di 45 paesi !

Comincia oggi a Joao Pessoa ( Circa due ore da Natal ) la RoboCup 2014 , il campionato mondiale tra robot intelligenti  che si tiene annualmente e che negli anni del mondiale di calcio è tenuto nel paese sede della Coppa , in questo caso il Brasile .
Le gare aperte al pubblico partiranno solo lunedì e giovedì si terranno le finali . Oltre alla categoria football , si sfideranno anche robot specializzati in altre discipline non necessariamente sportive .


L'evento è nato in Giappone nel 1997 ed ha come obiettivo vincere la  squadra umana , vincitrice del Mondiale FIFA , entro il 2050. 

A questa edizione si sono iscritti 4000 partecipanti paganti appartenenti a 400 Teams di 45 Paesi . Oltre ai partecipanti sono attesi almeno 60 000 visitatori .

Ai vincitori della categoria Humanoide , Adult Size sarà consegnata la coppa Louis Vuitton interamente scolpita in cristallo .


Começa neste sábado (19) a RoboCup 2014, a copa do mundo da robótica inteligente, que acontece no Centro de Convenções de João Pessoa. Nesses dois primeiros dias de evento, os participantes vão se credenciar e fazer um aquecimento, ou seja, preparar os robôs para as competições. Nesse período, o público não poderá visitar o evento.

No domingo (19) será realizada uma cerimônia de abertura simples para os competidores, com a apresentação de uma quadrilha junina paraibana, discurso de autoridades e a apresentação da Orquestra Sanfônica Balaio Nordestino.

Apenas a partir da segunda-feira (21) a RoboCup será aberta ao público. As competições das categorias futebol, resgate, tarefas domésticas, trabalho e RoboCupJunior começam às 9h em arenas distribuídas pelo Centro de Convenções. Até a quarta-feira (23) as competições principais terminam às 20h e as junior, às 19h. A tabela de disputas só será divulgada depois que os competidores fizerem credenciamento para confirmar a participação no evento.

As finais de todas as categorias acontecem na quinta-feira (24), sendo as principais das 9h às 17h e as junior, das 9h às 15h. Os vencedores vão ganhar troféus e a equipe campeã da categoria humanoide AdultSize (tamanho adulto) ficará, durante um ano, com a taça Louis Vuitton, esculpida em cristal e desenhada especialmente para a RoboCup.

Considerada a copa do mundo da robótica inteligente, o evento foi criado em 1997 no Japão com o objetivo de construir um time de robôs que pudesse ganhar uma partida contra a seleção vencedora da Copa do Mundo da Fifa. A previsão é de que o objetivo seja alcançado em 2050.

Na principal categoria da Robocup, robôs totalmente independentes e livres de controles remotos disputarão um campeonato de futebol, em times representados por universidades selecionadas de 45 países. Os robôs devem obedecer às mesmas regras de um jogo de futebol convencional, com dois tempos, chutes, marcação de gols, de faltas e até cobrança de lateral. Os jogos serão observados por um juiz humano, muitas vezes com o auxílio de um juiz robô. A competição de futebol é dividida em cinco categorias principais, além de subcategorias.


Já se inscreveram aproximadamente 400 times com 4 mil participantes de 45 países. Segundo a coordenadora geral da RoboCup 2014, Esther Colombini, são esperados cerca de 60 mil visitantes, além dos competidores.

Na sexta-feira (25), ainda acontece o Simpósio Internacional da RoboCup para pesquisadores, professores, estudantes e interessados na área. A programação consiste em duas palestras com pesquisadores convidados de renome internacional, apresentações de artigos e um workshop de Educação em Robótica. O simpósio exige inscrição paga tanto para estudantes quanto para professores e pesquisadores.

Fonte : Globo 

venerdì 18 luglio 2014

SELIC stabile all '11% : il pericolo di stagflazione cresce

La tassa di Juro si mantiene all'11% all'anno . La crescita economica ristagna mentre l'inflazione supera la meta del governo . I segnali di una stag-flazione ci sono tutti . Tuttavia la cruda realtà apparirà solo dopo le elezioni di Ottobre . Sino ad allora vivremo nella " neblina " mediatica .


A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de manter os juros básicos - a taxa Selic - em 11% ao ano foi acertada, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Para a entidade, essa decisão evita o aprofundamento dos obstáculos enfrentados pela economia brasileira.

Ainda assim, a confederação alerta que sem uma ação coordenada das políticas monetária e fiscal e sem foco nos investimentos públicos, o Brasil corre o risco de fechar o ano com baixo ritmo de crescimento e inflação acima da meta.

Para a CNI, uma eventual alta dos juros agravaria as dificuldades da atividade produtiva.

A confederação adverte que a recente aceleração na inflação, que levou o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) a 6,52% no acumulado em 12 meses, é preocupante.

Cita que, além disso, os indicadores de produção mostram um cenário de atividade econômica desaquecida.

"A produção industrial, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), caiu pelo terceiro mês consecutivo em maio.

A média das expectativas de mercado para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) que constam do Boletim Focus recuou para 1,05% em 2014", destaca a CNI, em nota sobre a decisão do Copom.

Para a confederação, as iniciativas para o controle da inflação devem recair sobre outros instrumentos que não a política monetária.

"É crucial que a decisão de manter juros estáveis seja acompanhada de medidas fiscais menos expansionistas e de maior foco na manutenção dos investimentos públicos. Sem uma ação coordenada, corre-se o risco de um cenário ainda mais preocupante: crescimento próximo a zero e inflação acima da meta", analisa a entidade.



martedì 15 luglio 2014

La Banca dei BRICS diventa realtà ?

" Brasile, Russia, India, Cina e Sud Africa - hanno deciso di iniziare a costituire una dote comune di sostegno contro lo slowdown e soprattutto contro la micidiale stretta agli investimenti stranieri: accusati di essere la fonte di un fiume di hot money, al tempo stesso servono come il pane agli emergenti per i quali il rischio di disinvestimenti è un problema reale."

Cosi il Sole 24 Ore presenta la notizia in aria da tempo della costituzione della Banca dei BRICS , la risposta degli emergenti al FMI . Tuttavia le negoziazioni che in questo momento sono in corso a Fortaleza impongono una certa cautela ,rivela il giornale Globo . " Non ha niente di definitivo , molti lo vogliono (l'accordo sulla Banca dei BRICS ) - afferma il Ministro della Economia Mantega . Contemporaneamente uno dei partecipanti più forti del gruppo , la Cina , è impegnata con gli Stati Uniti in un serrato round di negoziati economici .
 


Na reta final para a criação do banco de desenvolvimento do Brics, bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, os ministros da Fazenda e presidentes dos bancos centrais dos cinco países não conseguiram, hoje, chegar a um acordo sobre onde será a sede da instituição e que país assumirá a primeira presidência do banco de desenvolvimento, que a partir de 2016 vai financiar projetos de infraestrutura de nações emergentes. A decisão terá de ser tomada nesta terça-feira, durante a reunião de cúpula dos líderes do Brics na capital cearense.

— Não há nada definido. Muita gente quer — disse ao GLOBO Guido Mantega, ministro da Fazenda.

Até o último domingo, estava praticamente certo que Xangai, na China, sediaria o banco, e o Brasil seria o presidente. Porém, divergências marcaram os debates, na véspera da reunião de chefes de Estado do Brics, amanhã. Índia, Rússia e África do Sul, que também se candidatam à sede, passaram a reivindicar a presidência da instituição caso percam a disputa para a China.
Apesar das dificuldades para se chegar a um acordo, a presidente Dilma Rousseff preparou um discurso citando o banco de desenvolvimento do Brics como um dos principais resultados do encontro de cúpula. Segundo uma fonte ligada ao Palácio do Planalto, Dilma dirá que a instituição é uma resposta às necessidades dos países emergentes, que continuam duplamente prejudicados pela falta de reformas em organismos multilaterais, como o Fundo Monetário Internacional, e a lenta recuperação das economias dos países desenvolvidos.

— Há uma preocupação com o lento processo de recuperação econômica, que continua a prejudicar os investimentos e o fluxo de comércio. As incertezas relacionadas ao crescimento e as respostas dos países desenvolvidos podem levar ao aumento da volatilidade dos mercados financeiros — disse o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges.
Junto com o banco, que terá um capital inicial de US$ 50 bilhões para financiar projetos do Brics e de outros emergentes, será criado o Arranjo Contingente de Reservas (ACR), com cerca de US$ 100 bilhões, que poderão ser usados em caso de problemas nos balanços de pagamentos dos cinco países.

Os líderes do Brics assinarão, na quarta-feira, um documento com 50 artigos, a Declaração de Fortaleza. Nele, além do banco e do ACR, serão firmados dois acordos de cooperação entre as agências de garantias de crédito à exportação e os bancos de fomento, o que inclui o BNDES.
Como nas últimas reuniões de cúpula, a declaração não incluirá os termos “democracia” e “liberdade de expressão”. Haverá uma pequena evolução em direitos humanos, com uma lembrança de que os cinco países fazem parte do conselho que trata do assunto nas Nações Unidas.

— Esses princípios (democracia e liberdade de expressão) já são incorporados solidamente em nossa filosofia de vida. São valores que têm de ser perpetuados. Não devemos abrir mão de nossas posições, e cada um do Brics age como achar que deve agir — disse Jorge Gerdau, presidente do Conselho de Gestão da Presidência da República.

A discussão sobre democracia hoje acabou virando uma gafe do presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade. Perguntado sobre uma possível entrada da Argentina no Brics, disse que o país não se encaixava no conceito do bloco, que inclui não apenas crescimento econômico, mas segurança jurídica e democracia. Mais tarde, perguntado novamente sobre a participação da Argentina no bloco, por um jornalista daquele país, ele voltou atrás:

— Não falei que falta democracia nem segurança jurídica. A Argentina é um grande parceiro do Brasil e da indústria brasileira.

Em comunicado conjunto, os ministros de Comércio do Brics ressaltaram a preocupação com a situação econômica global e com a reação dos países desenvolvidos. O texto destaca ainda que o bloco busca o cumprimento de objetivos e prazos estabelecidos na Conferência de Bali (dezembro), a fim de retomar as negociações da Rodada de Doha, de liberalização do comércio global.

mercoledì 9 luglio 2014

Gli speculatori fremono dopo la sconfitta della squadra brasiliana


Che implicazioni economiche potrà avere la sconfitta rimediata dalla nazionale del Brasile contro la Germania, nella semifinale persa con il risultato storico di 7 a 1? Se lo chiedono gli analisti finanziari, che non perdono l'occasione di parlare dei Mondiali di calcio, indagandone le possibili ripercussioni sull'andamento economico o sui mercati finanziari.


Secondo Bloomberg l'evento straordinario di ieri sera rischia di ribaltare il sentore comune. Per gli analisti, infatti, finora una sconfitta del Brasile era vista come paradossalmente positiva per i mercati: avrebbe indebolito Dilma Rousseff, che avrebbe incontrato maggiori difficoltà per la corsa alla rielezione del prossimo autunno. Con un possibile cambio di guida politica, anche l'economia ne avrebbe tratto giovamento visto che molti additano la presidente come responsabile della stagnazione economica. Ma la sconfitta per 7 a 1 di ieri rischia di mischiare le carte e rompere questo meccanismo, perché troppo devastante, almeno a detta di Geoffrey Dennis, a capo della strategia per i mercati emergenti di Ubs e profondo conoscitore del Brasile, che segue fin dagli anni Novanta.

"Rischia di essere una batosta psicologica per i brasiliani molto forte, della serie: 'Guarda, la nostra economia è in panne, non riusciamo a crescere e non abbiamo neppure una squadra nazionale decente'". Gli Etf, derivati che replicano l'andamento di un paniere di azioni brasiliane e unico riferimento da seguire in una giornata di chiusura per il mercato locale, non indicano al momento particolari scossoni sul mercato.

Da quando Rousseff ha preso il potere nel 2011, la crescita ha rallentato fino a un tasso medio annuo del 2%, il ritmo più basso dai tempi delle dimissioni di Fernando Collor, nei primi anni Novanta dopo gli scandali per corruzione. Le sue politiche per la ripresa non hanno avuto impatto alcuno, se non quello di portare l'inflazione sopra la preoccupante soglia del 6,5%, in accelerazione proprio durante i Mondiali di calcio, visto l'afflusso di turisti.

La sconfitta di ieri, aggiunge in un report ad hoc SocGen, rischia più che altro di far riemergere nel Paese quei forti sentimenti di opposizione e protesta che hanno accompagnato l'avvicinamento al Mondiale e che sembravano sopiti durante le ultime settimane. Non a caso Tony Volpon di Nomura ha parlato di "niente meno che una umiliazione nazionale", per un Paese che s'identifica tanto nel calcio e - per la parte restante della popolazione - ha avversato il football come simbolo di tutto quello che non funziona e delle diseguaglianze economiche: l'organizzazione del Mondiale è costata 11 miliardi, in uno Stato che vede oltre 7 milioni di persone vivere con poco più di un dollaro al giorno.
( Non so dove abbiano preso questo dato che comunque si riferirebbe al 3,5% della popolazione ma  forse si riferiscono ai neonati visto che un dollaro sono 2 reais e che si guadagnano tranquillamente pulendo i vetri ai semafori ndr  )  

Secondo gli ultimi sondaggi, la popolarità di Rouseff è già scesa al 38% circa; una sua bocciatura alle elezioni, secondo Alberto Bernal di Bulltick Capital Markets, si potrebbe tramutare in un rally del 25% del mercato azionario. Di contro però, una eccessiva instabilità legata ai movimenti di protesta - magari insieme alla rielezione della Rousseff - potrebbe annullare l'effetto benefico di una sconfitta amarissima; opzione per la quale da SocGen consigliano di vendere il real brasiliano contro il peso messicano.

Fonte : La Repubblica