giovedì 11 marzo 2010

Natal : restano in carcere i 6 italiani condannati nel 2005 per sfruttamento della prostituzione


A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido de liberdade de seis condenados por exploração do tráfico interno e internacional de pessoas para fins de prostituição. Eles foram presos durante a “Operação Corona”, da Polícia Federal, em 2005. A decisão foi unânime.
Os italianos Giuseppe Ammirabile, Salvatore Borrelli, Paolo Quaranta, Vito Francesco Ferrante, Simone de Rossi e Paolo Balzano foram denunciados perante a 2ª Vara Federal da Seção Judiciária do Rio Grande do Norte, por integrarem um grupo especializado no tráfico internacional e interno de mulheres, sendo-lhes atribuída também a prática, dentre outras infrações, de lavagem de dinheiro e manutenção de casas de prostituição em Natal e em Sevilha, na Espanha. A prisão preventiva foi decretada ainda na fase de inquérito, pela garantia da ordem pública e por conveniência da instrução criminal. Sobreveio sentença condenando os denunciados, na respectiva ordem, a 56 anos, nove meses e 21 dias de reclusão; 56 anos, nove meses e 21 dias de reclusão; 22 anos, dois meses e 10 dias de reclusão; 17 anos e quatro meses de reclusão; 12 anos e dois meses de reclusão; e sete anos de reclusão, mantendo-se a prisão para apelar. No habeas-corpus, a defesa pretendia o direito para que todos aguardassem em liberdade o trânsito em julgado da ação penal. Para isso, sustentou que os italianos estão presos sem que haja determinação judicial por parte do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, nem expressa, por decisão fundamentada de revalidação do decreto desusado ou sequer por anunciação oral nos debates, durante a sessão. Alegou, ainda, que a decisão do TRF5 reconheceu que os condenados não tinham ligação com a organização criminosa italiana “Sacra Corona Unita”. Os ministros da Turma consideraram que o fato de a decisão do TRF5 haver afastado a notícia de envolvimento dos condenados com a máfia italiana não desnatura a custódia provisória. Isso porque, destacaram os magistrados, conforme observado, a prisão se amparou, e vem se amparando, em lastro concreto de periculosidade social dos agentes e na necessidade de se evitar a reiteração criminosa. * Fonte: STJ.

7 commenti:

  1. Ciao Antonio, 2 dei ragazzi condannati li conosco e da quello che mi risulta sono stati rilascati a Novembre, li ho incontrati personalmente in quel di Natal .L'orribile vicenda è raccontata nel sito www.giuseppeammirabile.org e nel gruppo in facebook Operazione Corona - Giuseppe Ammirabile: La Storia.

    RispondiElimina
  2. Conosco il sito e la storia .I dettagli sono su questo sito http://www.conjur.com.br/2005-nov-25/pf_prende_mafiosos_traficavam_mulheres_natal

    Sono 7 pagine dove ci sono tutti i capi di accusa e le prove della PF .

    RispondiElimina
  3. Francesco questa è l'introduzione del fascicolo su Ammirabile .

    Os mafiosos estavam no Brasil desde dezembro de 2004. Ammirabile, Borrelli e Quaranta têm extensas fichas policiais tanto na Itália como em outros países já tendo cumprido pena por trafico de drogas, de armas e de pessoas e por contrabando entre outros crimes. Quaranta cumpriu pena por duplo homicídio no Canadá. Ammirabile foi preso, na Itália, por crimes como tráfico de drogas, de armas e de pessoas, lavagem de dinheiro e crimes financeiros.
    O passado mafioso não impediu que Ammirabile, Borelli, Ferrante e Quaranta se beneficiassem da Resolução Normativa 60 do Ministério de Trabalho e Emprego, que dá visto permanente a estrangeiros que investirem um mínimo de US$ 50 mil no país. Com o dinheiro que trouxeram legalmente através do Banco do Brasil, eles comprovaram os investimentos feitos na boate, bares e pousadas e conquistaram o “visto de investidores”, sem levantar suspeita para a extensa folha penal que têm em outros países.

    Questo sul sito di Ammirabile non c'è !

    RispondiElimina
  4. caro antonio ma lei crede incondizionatamente ai fascicoli della federale|||| scusa il tasto del punto interrogativo e rotto.......se un giorno avra voglia di leggersi la difesa......con certezza CAMBIERA IDEA.......deve soltanto avvisarmi e glie la spedisco via net.......ciao e buona fortuna

    RispondiElimina
  5. Scusa Vitor

    un problema tecnico mi ha impedito di leggere i commenti sino ad oggi .

    Io non ho emesso un giudizio sulla vicenda , lungi da me non ne ho nè la competenza nè l'autorità . Le informazioni di cui al link sono pubbliche e pertanto per chi vuole farsi una idea della vicenda vanno lette assieme alle info riportate sul sito del Sig. Ammirabile .
    Comunque se lo ritiene utile può senz'altro inviarmi le info della difesa ma stia certo del fatto che io non ho alcuna idea preconcetta sulla vicenda .

    Saluti

    RispondiElimina
  6. Il problema è che il brasile è un terzo mondo e mi riferisco, alla cosi chiamata ( nuova democrazia).Detto ciò chi viene in brasile deve sapere che ci sono delle regole, giuste ho sbagliate sono queste!

    RispondiElimina
  7. Ma che fine ha fatto Giuseppe Ammirabile e gli altri? Possibile che la PF si sia inventato tutto? Possibile che nessuno ne parli più?
    Marco

    RispondiElimina

Lasciate qui un vostro commento