sabato 17 aprile 2010

Rio : atto di vandalismo ai danni del Cristo Redentor

Pista que leve aos pichadores do Cristo vale recompensa de R$ 5 mil

Publicada em 16/04/2010 às 23h53m

Isabela Bastos e Ruben Berta

RIO - Um grupo de empresários do Rio está oferecendo uma recompensa de R$ 5 mil a quem fornecer ao Disque-Denúncia (2253-1177) informações sobre os criminosos que picharam, na madrugada de quinta-feira, a estátua do Cristo Redentor. Segundo o subsecretário municipal de Conservação, Joaquim Monteiro, que visitou o monumento no início da tarde de ontem, um movimento de representantes da sociedade civil está angariando os recursos. A mobilização em torno da recompensa foi mencionada pelo prefeito Eduardo Paes. Ele não quis, no entanto, divulgar nomes.

Detalhe do rosto da estátua de Cristo pichada / Foto de Genilson Araújo

Um dia depois da descoberta do ataque, o Cristo nesta sexta-feira estava sem os vestígios das pichações. Mas a limpeza do monumento está cercada de polêmica. Pela manhã, a Comlurb informou que as assinaturas e frases pichadas sobretudo nos braços, no peito e no rosto da estátua já tinham sido removidas. O superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) no Rio, Carlos Fernando Andrade, disse, no entanto, ter recebido informações de que a estátua foi apenas pintada com cal, aplicado por cima das pichações.

- Pintar com cal não chega a ser uma tragédia porque sai com a chuva. Estou entendendo que fizeram uma proteção visual, até que se dê solução definitiva. Mas temos que verificar a veracidade e isso será feito na segunda-feira - disse Andrade.

Segundo ele, a limpeza do Cristo foi combinada com a prefeitura e ficou acertado que o Iphan encabeçaria o trabalho. O superintendente do Iphan lamentou o ataque e disse que os andaimes da reforma facilitaram as pichações.

Segundo a Secretaria municipal de Conservação, a limpeza foi feita pela empresa Cone Engenharia, responsável pela reforma do Cristo. A estátua teria sido escovada com um produto especial de limpeza. A Comlurb, segundo a secretaria, teria dado apenas apoio técnico.

A Cone Engenharia foi procurada, mas informou que apenas a Arquidiocese do Rio poderia se pronunciar sobre o assunto. Procurada pelo GLOBO, a Mitra se limitou a informar que a restauração do monumento, interrompida há uma semana, foi retomada e a limpeza das pichações, providenciada.

Um dia após o ataque, a vigilância no Cristo estava reforçada ontem. Quatro guardas municipais davam apoio aos dois vigilantes do parque na patrulha do monumento. Segundo o chefe do Parque Nacional da Tijuca, Bernardo Issa, as câmeras do Cristo também foram religadas ontem, depois de terem sido danificadas pelos temporais. Na segunda-feira, a direção do parque anunciará o prazo necessário para a retomada plena da visitação ao monumento.

Policiais da 9ª DP (Catete) receberam três denúncias anônimas indicando possíveis autores do ataque. Os investigadores buscam ainda imagens de câmeras de prédios situados nos acessos ao parque. A Polícia Federal também está atuando no caso.

Os rabiscos em alusão ao desaparecimento da engenheira Patrícia Amieiro Franco revoltaram parentes e amigos da jovem. O pai, Antônio Celso de Franco, repudiou qualquer manifestação que seja feita com dano ao patrimônio:

- Não sei quem está fazendo isso, mas é um absurdo se aproveitar de uma tragédia para aparecer. Minha esposa é católica e ficou muito chateada.

A Fundação Parques e Jardins gastou em 2009 cerca de R$ 300 mil com a limpeza de monumentos pichados. Para o biênio 2010/2011, o orçamento é de R$ 680 mil, já prevendo o aumento do número de obras instaladas e do custo de material. Entre os maiores alvos dos vândalos estão os portões do Campo de Santana; o monumento de Bellini, em frente ao Maracanã, e a estátua de Zumbi, na Avenida Presidente Vargas. O bairro da Glória é o que registra maior número de casos.

Fonte : O Globo

Nessun commento:

Posta un commento

Lasciate qui un vostro commento