venerdì 15 ottobre 2010

Credito al consumo : i primi scricchiolii


Il numero di consumatori brasiliani che non riescono ad onorare i debiti contratti cresce anche questo mese dell'1,6% , è il sesto mese consecutivo .

L' inadempienza cresce in proporzione all' indebitamento . L'aumento complessivo del tasso di inadempienza rispetto all'anno scorso è del
15,3%




A inadimplência do consumidor brasileiro subiu 1,6% em setembro, ante o mês anterior, segundo dados divulgados pela Serasa Experian nesta sexta-feira. O índice é o maior para setembro desde 2000, quando começou a ser divulgado, e marca a quinta alta consecutiva mensal. O movimento de alta seria um reflexo do endividamento com as compras parceladas nas datas comemorativas e nos feriados prolongados.

De acordo com economistas da entida, a expectativa é de manutenção da alta nos próximos meses. "A inadimplência do consumidor continua ganhando força na mesma direção do endividamento, porém a evolução da renda e do emprego formal tem ajudado a evitar um crescimento acelerado do índice. A perspectiva é de que a inadimplência sofra pressões em outubro, por causa do Dia das Crianças", afirmam em nota.

Com relação ao mesmo mês do ano passado, o índice cresceu 15,3%, representando o maior resultado desde março de 2009, quando o País ainda sentia os efeitos da crise financeira global. Entre janeiro e setembro deste ano, a inadimplência apresentou alta de 1,8%, ante o mesmo período do ano anterior - a segunda variação positiva entre os acumulados desde janeiro deste ano.

De janeiro a setembro, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor médio das dívidas com cheques sem fundos teve alta de 29,1%, para R$ 1.244,34 ante R$ 963,98 no ano anterior. Os títulos protestados e cartões de crédito e financeiras também apresentaram crescimento de 6,9% e 4,9%, respectivamente. Já as dívidas com os bancos registraram queda de 1,6%, e foram a única modalidade de inadimplência com variação negativa.


Nessun commento:

Posta un commento

Lasciate qui un vostro commento