venerdì 13 maggio 2011

Vittoria dei consumatori a Natal : la benzina diminuisce del 7%

O Ministério Público Estadual (MPE) informou na manhã de ontem, durante audiência pública realizada no auditório da instituição, que desde o início da campanha "Combustível mais barato já" foi verificada uma redução de 7% no valor dos combustíveis vendidos em Natal, passando de uma média de R$ 2,99 para R$ 2,81. Além disso, o comitê gestor da campanha declarou que as ações de fiscalização continuarão a ser realizadas e que novas medidas serão adotadas para manter a campanha. Na última quarta-feira, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, declarou que a BR Distribuidora, subsidiária da Petrobrás, vai reduzir os preços da gasolina e do etanol entre 6% e 10%. Em Natal, o grupo é responsável por 40% dos postos de combustíveis da cidade, segundo informações do MP.


Para organizadores, campanha mostrou poder de mobilização da sociedade Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press
Durante a reunião, o promotor de Defesa do Consumidor, José Augusto Peres, declarou que o sucesso da campanha se deve à participação efetiva da população e de um engajamento positivo do poder público. Tendo como resultado a queda de 7% no valor do combustível, segundo o último levantamento feito pelo Procon municipal, a campanha deve servir de exemplo para outras mobilizações. "A lição que fica é que é possível termos mais força com uma sociedade unida e dentro da lei".

Segundo pesquisa feita pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), Natal é a capital do Nordeste que apresenta a maior margem de lucro sobre o combustível comercializado. De acordo com o representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RN), Samuel Gabbay, o lucro médio em João Pessoa (PB) é de R$ 0,30, enquanto na capital potiguar esse valor pode chegar a R$ 0,50. Ele informou que essa diferença pode ocorrer por alguns fatores, dentre eles questões referentes à logística do produto.

Além de manter a monitoração dos preços dos combustíveis em Natal, o comitê da campanha "Combustível mais barato já" pretende reavaliar o valor do Imposto sobre Circulação sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado junto ao governo doestado e apresentar uma proposta de lei, junto a prefeitura de Natal para que seja permitido a criação de postos de gasolina em supermercados da cidade. Outra proposta é de elaborar um projeto para que seja estipulada uma distancia mínima entre os postos de gasolina, para que seja ampliada a concorrência entre os empresários.

2 commenti:

  1. I distributori sono ancora piu' fitti che in Italia e quando c'e' da fare cartello si che si sanno organizzare bene!
    Certo che per un paese che strombazzava di essere un prossimo grande esportatore di petrolio e grande produttore di biocombustibile...

    RispondiElimina
  2. Sinceramente non capisco chi si esalta piangendo o invocando al massacro del nostro portaf. e via dicendo ogni volta che in Italia o in Brasile aumentano i prezzi della benziana, Gasolina, Alcol ecc.ecc... Ogni aumento pur grande che sia non ci impedisce di girare in macchina ...forse una corsa in meno per i più sfortunati ( io compreso ), ma chi ha due macchine ...motorino ... tagliaerba ecc..non credo che i 10 cent. in più o in meno alla fine dell'anno vadano a cambiare il nostro stile di vita. Dico questo perchè sono più preoccupato dal fatto che tra pochissimi anni non ci sarà più petrolio e le energie alternative sono legate ancora a una tecnologia non in grado di sopperire al dio nero ... i brevetti delle ultime invenz. sono nelle cassaforti delle sette sorelle e multinaz. del petrolio... e noi siamo qui a controllare i cartelloni dei benzinai tutti i giorni aspettando il rialzo ( es. benzina a 1.48 .. domani a 1.51 ... capperina guarda che ladri questi, ma non si può ... bla bla ... poi al bar ..bla bla ..).Siate consapevoli che oggi ci godiamo un bene a esaurimento e se le cose non cambiano un giorno dovremo tornare a usare i muscoli ... limitando i nostri orizzonti ... perciò siate grati al ...culo ... di essere nati in un periodo storico dove si può fare il giro del mondo comodamente seduti sorseggiando una bevanda fresca a 10.000 m a -50°C viaggiando a 900 km orari ... e trotterellare su e giù per la città 20 volte al dì in macchina... ingrassando ...
    Concludo dicendo che non mi preoccupa tanto il caro benzina .... ma che la benzina sia ormai finitaaaaa.... di questo bisognerebbe discutere e confrontarsi.
    ps. il mio sfogo ...scusami anto ma non è riferito al post, a te o al commento di anonimo 3.59, ma purtroppo generalizzato alla nostra soc. ormai miope e legata solo al giorno dopo ...cioè domani .... purtroppo. Andrè

    RispondiElimina

Lasciate qui un vostro commento