Home Vivere in Brasile Natal tra i leader mondiali nella pesca del tonno

Natal tra i leader mondiali nella pesca del tonno

6
8
CONDIVIDI


Lo scorso mese di Maggio il Presidente onorario della Associazione Culturale Italo Brasiliana ( ACIBRA ) nonchè Presidente della Atlantico Tuna : Gabriele Calzavara , ha annunciato l’accordo con la giapponese Japan Tuna che porterà la contribuzione del Paese nella pesca del tonno dall’attuale 1,5% al 25% della produzione mondiale .


Il segreto sta in una tecnologia giapponese che congela il pescato a 60° negativi consentendo la perfetta conservazione del tonno e quindi consentire lo sfruttamento anche delle acque profonde mentre prima si era limitati alla pesca costiera . I tonni sono avvertiti !
As perspectivas de expansão da pesca oceânica do Brasil apresentam-se cada vez mais fortes diante do investimento realizado pela empresa pesqueira potiguar Atlântico Tuna, em parceria exclusiva com a maior empresa de pesca japonesa, a Japan Tuna. O início ontem da chegada de 11 barcos com atum pescado no oceano Atlântico ao Porto de Natal marcam o início da trajetória que promete elevar a participação do país na pesca da espécie passando dos atuais 1,5% para 25% da produção mundial. Nesta semana aportarão os barcos Shoei Maru, Tawa Maru 88 e Kinei Maru 85, o que representará um desembarque superior a 500 toneladas de pescado.

A parceria com os japoneses travada a partir de um acordo entre o Ministério de Pesca e Aquicultura e o governo japonês busca transformar a atividade no país, deixando o perfil predominante de uma pesca costeira para dar grandes avanços em águas profundas. Segundo dados da Comissão Internacional do Atum Atlântico, em 2008, das 272.900 toneladas de atum das espécies albacora branca, albacora lage e albacora bandolim, possível de serem capturadas sustentavelmente no Atlântico, a frota nacional capturou apenas 4.194 toneladas, representando só 2% das capturas.


“O uso da tecnologia japonesa, que congela o atum a 60 graus negativos, diminui a competitividade com outros países como a Espanha e EUA, desprovidos dessa vantagem e nos aproxima do grande líder mundial”, garantiu o presidente da Atlântico Tuna, Gabriel Calzavara. O Brasil tem outorga para capturar cerca de 12 mil toneladas/ano de atum. Com a vinda dos japoneses, o Rio Grande do Norte estará apto a alcançar essa meta.

Segundo o empresário, esta é a primeira vez que esse tipo de método de congelamento e pesca são praticados no Brasil. “O RN passará a ter uma perspectiva econômica distinta da que existe hoje. A exportação irá dobrar, os investimentos em mão de obra local serão cada vez mais necessários, visando a ampliação do negócio, afim de atingirmos os objetivos esperados”.

“Temos que gerirtudo em tempo hábil para conseguir atender a demanda de pescado aqui no Porto de Natal, visto como um ponto estratégico em termos de local de aportamento no Atlântico, dada a localização central e privilegiada do RN”, afirmou o secretário estadual Betinho Rosado. Ele estimou que as obras do Terminal Pesqueiro ficarão prontas no prazo de 150 dias, num investimento de R$ 40 milhões. “Será possível fazer o transbordo o novo terminal já na próxima pescaria. Todo esse avanço afeta diretamente as empresas locais, em termos de exportação, bem como a indústria hoteleira, gerando empregos e novos serviços”.


Capacitação

Após 62 profissionais terem sidos qualificados intensivamente por especialistas japoneses para atuarem nas embarcações atuneiras, a expectativa da Federação das Indústrias (Fiern) é de formar pelo menos 400 trabalhadores nos próximos dois anos, segundo o presidente eleito da entidade, Amaro Sales.

“Para atender a essa demanda, o Senai vai instalar em Santa Cruz um centro de referência para a pesca deatum, que terá, inclusive, um simulador de operação de barcos de ponta cedido pelo governo japonês”, relatou Sales.

Além da sede em Santa Cruz, os japoneses também vão montar um centro de treinamento para pescadores em Natal. Em médio prazo, a iniciativa vai criar 2.200 novas vagas de trabalho, entre empregos diretos e indiretos.

8 Commenti

  1. Ciao Paolo

    sono daccordo con te . Ma il problema siamo noi consumatori . Io personalmente non amo il sushi che come saprai è il destino principale dei tonni .I giapponesi pagano una fortuna per averlo . Smettiamo di consumare questo prodotto così come è stato fatto per le pellicce naturali .

  2. AI ai ai il mio sogno sarebbe stato di aprire un charter pesca in quella zona, propio perche popolata da tanti tanti tunnidi!!!
    Mi sà che è meglio cambiare paese!!!!

  3. Ciao Antonio! Visto che sei in Italia, mi piacerebbe sapere com'è 'vivere in Italia' dopo mesi/anni di Brasile e come vedi il Brasile da distante? Le tue sensazioni dirette, non aneddoti di vita.

  4. certo ottoaprile dall'1-12-11 fino al 1-3-2012 sono a maceio ma cmq un capatina a natal a pesca me la faccio…. ti faccio sapere con anticipo…. cosi si fà pure 4 chiacchere…
    ciao da Giorgio

  5. Ciao Paolo

    io torno in Italia una volta ogni anno per un mese e pertanto non è tanto per poter andare oltre gli aneddoti . Comunque ricevo quotidianamente e-mail come questa :

    Ola' caro Antonio come stai e come va??? Non ti ho piu' sentito e non ho ricevuto ancora niente da nessuno riguardo xxxxxxxxx– Come e' il movimento li a Natal? Qui da noi in Italia sempre piu'difficile,l'economia ed i consumi sono fermi e' veramente un disastro e un lamentarsi da tutti in qualsiasi settore- Non si vede spiraglio ad una via d'uscita,poi anche il clima e'cambiato piove in continuazione e la gente non gira e non spende. Che brutti momenti…! Speriam in bene,e' l'unica cosa in cui credere– Ciao con un abbraccio e sempre grazie di cuore—-XXXXXX —

  6. Ciao anto … mi spiace che non sei riuscito a passare per assaggiare la mia piadina, ci rifaremo … per i vari mess ( uno riportato sopra da Paolo) bè cosa dire : …sante parole … siamo entrati in un ciclo di estati brevi e con temp. sotto media sopratt. al nord… questa estate gli esperti la chiamano l'Estate senza Estate … fai te !!! la gente però gira ancora infatti sentirai dire dai più che in giro alla fine la gente la trovi ..al rist il sabato e la dom c'è ancora pieno … pizze a go go … purtroppo oltre l'80% di queste persone esce si ma a differenza di prima pesa le uscite cercando i posti sicuri, già sperimentati, dove ci sia gente che ti veda e raramente durante la sett.. Morale: uscire si ma in modo mirato taglianodo gli extra le cosidette uscite infrasett.. siamo alla fretta !!

LASCIA UN COMMENTO

Please enter your comment!
Please enter your name here