martedì 22 maggio 2012

Dilma assicura : non prenderemo la "polmonite" dall'Europa

A presidente Dilma Rousseff declarou nesta segunda-feira em Laguna, no sul de Santa Catarina, que a "desesperança" tomou conta de países desenvolvidos e prometeu que o Brasil "não irá mais pegar pneumonia quando espirrarem na Europa".
A situação delicada existente em outros países, principalmente nos Estados e na Europa, na opinião de Dilma, não deve afetar a economia brasileira.


Além de pregar a estabilidade nacional, a presidente disse ver um futuro "triste" no velho continente. "Estão tratando a crise com recessão. Pessoas jovens estão desempregadas", disse. "Quando isso ocorre com a juventude, o futuro está comprometido".

Rousseff afirmou que a situação "confortável" do Brasil se deve ao processo de abertura democrática. "Desde então, viemos construindo a estabilidade" completou, citando a a criação de um chamado "conjunto de armas" criado pelo ex-presidente Lula contra crises externas.

"Espirravam lá fora e pegavámos pneumonia. Aqui não pegamos mais isso. Estamos mais fortes do que em 2008", disse, citando a existência de US$ 370 bilhões de reservas. "Isso é uma proteção contra o que quer que aconteça no sistema financeiro internacional".

Em seu pronunciamento, Dilma ainda citou a indústria catarinense e a importância das obras em infraestrutura para minimizar custos da indústria. "Temos o compromisso de continuar crescendo. Quando colocamos investimentos na região, estamos dando um passo para que se continue esse processo", afirmou.
Roussef ainda praticamente "batizou" a nome ponte estaiada de R$ 597 milhões que será construída na BR 101. "Passei férias muitos anos em Santa Catarina e sei como é esse trânsito na região", disse. "Assumo o compromisso de dar a essa ponte em Laguna o nome de Anita Garibaldi, uma grande heroína de dois mundos e que honra a todas as brasileiras pela sua coragem e determinação."

Nessun commento:

Posta un commento

Lasciate qui un vostro commento