giovedì 3 gennaio 2013

Record di vendite per l'industria automobilistica nel 2012

Se qualcuno ancora dubita degli effetti delle misure del governo brasiliano a favore della industria nazionale guardate i risultati ottenuti con l'industria automobilistica e confrontateli con i risultati in Europa . Misure senz'altro protezionistiche del mercato del lavoro locale ... ma come dargli torto ? Obama fa esattamente lo stesso negli Stati Uniti .


A indústria automobilística nacional fechou 2012 com mais um recorde de vendas, com o total de 3.801.859 veículos emplacados, um crescimento de 4,6% sobre 2011, que tinha o marco de 3.632.842 unidades. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (3) pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O mês de dezembro foi “coroado” com 359.339 veículos emplacados, número que inclui automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.Para o setor, que temia queda neste ano devido às oscilações econômicas nacionais e mundiais, o resultado é uma prova de que as medidas do governo para preservar o setor deram certo. Entre elas, a volta do desconto do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), determinado no fim de maio, quando os estoques atingiram altos níveis. O benefício acabou prorrogado até julho de 2013.

Antes disso, para que os benefícios não ajudassem empresas ou fábricas fora do país (mais competitivas), o governo “barrou” a “invasão” de carros "gringos". Com isso, aumentou o IPI dos importados de fora do México e do Mercosul, que deu um "tombo" nas vendas das importadoras em 2012, e também estabeleceu limites às importações de carros do México

1 commento:

  1. In Italia nel 2012 (in un mercato saturo) sono state vendute 23,03 auto ogni mille abitanti, in Brasile (mercato in espansione) ne sono state vendute 19,93 ogni mille abitanti. Le politiche protezionistiche sono la fortuna dei costruttori, allineando i prezzi al prodotto Nordamericano o Europeo si poteva fare molto di più ed a un minor costo per il consumatore senza perdere posti di lavoro visto l'aumento dell'indotto.

    Mauro2

    RispondiElimina

Lasciate qui un vostro commento