Home immobili Spagnolo è ucciso a coltellate nel suo appartamento di Ponta Negra

Spagnolo è ucciso a coltellate nel suo appartamento di Ponta Negra

7
2
CONDIVIDI
Una morte cruenta quella dell’impresario  spagnolo Francisco Angel Moreno Matellano di 52 anni ( La TV dice 60 anni ) , trovato morto a coltellate nel bagno del suo appartamento in un condominio della villa di Ponta Negra , un edificio  di dieci piani abitato solo in parte  senza portiere ne telecamere di sicurezza .
 
Lo spagnolo  viveva a Natal da 9 anni , era un tipo tranquillo , sposato con una brasiliana da cui aveva avuto un figlio . A trovare il cadavere è stata proprio  la moglie che è entrata in casa sabato mattina ed ha trovato sangue dappertutto e  riverso nel bagno il cadavere del marito.

La porta di ingresso non presentava segni di scasso e pertanto il delegato ritiene che Angel conoscesse la vittima a cui aveva volontariamente aperto . Sia la moglie che i vicini hanno confermato che lo spagnolo amava giocare a carte frequentemente  ma pagava sempre i debiti di gioco .
O delegado Graciliano Lordão – designado para investigar a morte do empresário espanhol Francisco Angel Moreno Matellano, de 52 anos, cujo corpo foi encontrado no apartamento onde morava em Natal no sábado (23) – ainda não tem pistas do autor do homicídio, mas pretende encontrar uma linha de investigação a partir das declarações de familiares e vizinhos da vítima. À princípio, o delegado acredita que o assassino pode ter alguma relação com o empresário. “Acreditamos que Angel abriu a porta para o assassino, já que esse não precisou arrombar a porta para entrar no apartamento”.

A opinião do delegado é endossada pela companheira da vítima, Eliana Pereira, que mantinha um relacionamento amoroso com o espanhol, com quem tem um filho. Em entrevista à Inter TV Cabugi, Eliana disse que Francisco Angel era muito seguro, e jamais abriria a porta para um desconhecido.

A mulher também afirmou que o companheiro jogava cartas todas as noites, mas não possuía dívidas. As informações foram confirmadas por um vizinho, que não quis de identificar. “Ele jogava com frequência, mas sempre quitava as dívidas”, enfatizou o vizinho.

As pessoas que se relacionavam com o empresário serão ouvidas até esta quarta, ajudando a montar o perfil da vítima. “Ainda não tenho pistas sobre este caso. As declarações e depoimentos irão ajudar a desvendar este caso”, indicou o delegado.

Os laudos do Instituto Técnico-Científico de Polícia do RN (Itep) também irão ajudar a desvendar o crime. “Tinha uma faca no local, aparentemente suja de sangue, que deve ser a arma do crime. O objeto foi enviada para análise e pode conter a impressão digital do assassino”, afirmou o delegado.

Entenda o caso

O empresário espanhol Francisco Angel Moreno Matellano, de 52 anos, foi encontrado morto no apartamento onde morava em Ponta Negra, bairro da zona Sul de Natal. De acordo com o perito do Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (Itep), Marcos Guimarães, a vítima apresentava ferimentos semelhantes a perfurações de faca.

Segundo informações de familiares, o corpo foi encontrado por volta das 11h30 pela esposa do empresário, que imediatamente acionou a polícia. No apartamento do espanhol havia muito sangue espalhado pelo chão. Ainda de acordo com o perito do Itep, Francisco Angel foi morto por volta das 3h.

Informações colhidas pela Polícia Civil no local do crime dão conta de que o espanhol morava em Natal há nove anos, era um homem tranquilo e não tinha inimigos.

CONDIVIDI

2 Commenti

  1. A Polícia Civil ainda não tem uma linha de investigação precisa sobre o assassinato do espanhol Francisco Angel Moreno Matellano, 60 anos. O espanhol foi morto na madrugada do sábado (23), no apartamento de número 6, do condomínio Porto Novo, em Ponta Negra, onde morava. Mas o delegado encarregado de apurar o caso, Graciliano Lordão (15ª DP), acredita que a pessoa que o esfaqueou na garganta e lhe deu um murro no rosto, trata-se de gente conhecida dele.

    "Pela situação do prédio em si", disse o delegado, "a gente imagina que quem esteve com ele, entrou com seu consentimento. Em principio, não seria uma pessoa estranha". Graciliano Lordão afirmou que não afasta nenhuma hipótese de investigação, mas acha improvável que a motivação tenha sido vingança por dívida de jogo de pôquer, como chegou a dizer à ex-companheira da vítima, Eliane Caetano. Com ela, Matellano tinha um filho, hoje com dois anos.

    A ex-companheira do espanhol foi quem avisou à polícia sobre o crime, depois de ter visto pela janela do seu apartamento, que fica no segundo pavimento, sangue saindo do apartamento do espanhol. Ele era proprietário do condomínio Porto Novo, que tem dez apartamentos. Em um deles mora o caseiro, que já foi chamado para depor, além de dois moradores e a ex-companheira do espanhol. Ela será ouvida, hoje à tarde, na Delegacia de Ponta Negra.

    "Se existisse uma dívida de jogo, acredito que a pessoa não correria tanto risco para matá-lo dentro de seu apartamento", declarou o delegado Lordão.

    Segundo perícia, espanhol chegou a se defender

    O corpo de Matellano foi liberado, na manhã de ontem, para sepultamento em Tibau do Sul. Na manhã de ontem, antes mesmo de receber o Boletim de Ocorrência, o delegado Lordão foi ao condomínio situado na rua da da Lagosta, 405, "para se ter uma noção da dinâmica do local e da cena do crime" e, a partir daí, "colher informações para traçar uma linha de investigação" e chegar a autoria do homicídio. "Hoje [ontem], as informações são desencontradas. Precisamos checar todas as histórias que estão chegando para, a partir daí, definir qual linha a seguir", afirmou Lordão.

  2. Lordão acredita que "seria bem mais fácil e chamaria menos atenção" se o crime tivesse ocorrido na saída da casa de pôquer ou no trajeto feito pela vítima até chegar o condomínio Porto Novo. Na área onde ocorreu o crime e em lugares circunvizinhos, transitam muitas pessoas, inclusive viciados em drogas, que poderiam ter abordado a vítima na entrada do prédio. O acesso se dá por um portão lateral ou pelo portão maior, da garagem coletiva.

    Até o começo da tarde de ontem Lordão não havia recebido o BO gerado pela 1ª equipe do Plantão da Zona Sul, cujo delegado Vanderley Alves Pereira, realizou os primeiros levantamentos do assassinato. De antemão, Lordão afirmou que já sabe que o espanhol Angel Matellano foi esfaqueado na sala do apartamento. Depois, o corpo foi levado para dentro do banheiro.

    A perícia inicial da cena do crime feita pelo perito Marcos Guimarães aponta que o ferimento sofrido pela vítima era do tipo que sangra bastante e, no pequeno apartamento – de dois quartos e uma sala -havia sangue acumulado, manchas de salpicos e de projeção na cozinha e na sala, onde provavelmente o espanhol foi golpeado. Guimarães disse que, na cena do crime, foi encontrada a chave de um carro e sinais de que a vítima tentou se defender, "porque havia lesões de defesa numa mão".

    A Polícia foi avisada do crime pela ex-companheira de "Paco", como o espanhol era conhecido, por volta das 12h30 do sábado. Em relato à polícia, ela disse que antes de entrar no apartamento do ex-marido, bateu três vezes na porta, foi então que pediu ajuda ao vizinho do quarto pavimento, que quebrou a porta. No apartamento, ela se deparou com o ar condicionado da sala desligado – "o que não era normal".

    Segundo ela "tinha muito sangue na sala e nos dois quatros. Ele estava deitado no chão do banheiro". A TRIBUNA DO NORTE tentou falar, por telefone, com a ex-mulher de "Paco", mas ela não quis dar entrevista. O espanhol morava há cerca de nove anos no Brasil. Segundo a ex-mulher, o espanhol já tinha vendido dois apartamentos para pagar dívidas de jogo de pôquer. Lordão também vai investigar se procede uma informação de que Angel tinha saído da casa de jogo, numa rua próxima à 15ª DP, na noite da sexta-feira, dia 22, com R$ 2 mil no bolso.

LASCIA UN COMMENTO

Please enter your comment!
Please enter your name here