sabato 15 giugno 2013

Continuano le proteste a Brasilia contro le spese per la Copa

A onda de protestos não para em Brasília. Desta vez, por volta das 11h deste sábado, centenas de estudantes se reuniram nos arredores do estádio Mané Garrincha, onde a seleção brasileira estreia na Copa das Confederações, contra o Japão, a partir das 16h. O objetivo dos estudantes é demonstrar a revolta por conta dos gastos federais com a realização da Copa das Confederações. A polícia chegou ao local, e o clima ficou tenso em alguns momentos, com os militares precisando utilizar bombas de efeito moral, sprays de pimenta e cavalaria. 
Com faixas com dizeres contra a corrupção e a favor da liberdade de expressão, os estudantes fizeram questão de explicitar que o ato é pacífico, e muitos carregavam faixas com palavras como "sem violência".
Protesto, Mané Garrincha (Foto: Agência Estado)Manifestante fica à frente do Batalhão de Choque da PM (Foto: Agência Estado)
Apesar de não haver violência por parte dos manifestantes, a Polícia Militar fez uma barreira a uma certa distância do estádio Mané Garrincha para que os protestos não prejudiquem a chegada dos torcedores que irão acompanhar a estreia da seleção brasileira, que deve chegar por volta das 15h.
O clima ficou tenso em dois momentos. Primeiro, às 12h, um um grupo de estudantes rompeu uma segunda barreira e se aproximou do estádio. O batalhão de choque começou a negociar com manifestantes, e o clima ficou mais preocupante, com fumaças e estouros de bombas de efeito moral.
- Foram usados sprays de pimenta e bombas de efeito moral no início da manifestação. Mas não houve nenhum tipo de combate. E nenhum registro de feridos. Está tudo sob controle agora - disse o tenente-coronel da Polícia Militar, Zil Frank Antero, por volta das 13h.
protesto Brasília contra a Copa (Foto: André Coelho / Agência O Globo)Manifestantes questionam os investimentos na Copa (Foto: André Coelho / Agência O Globo)
Pouco depois, por volta das 13h30m, com a chegada da cavalaria da polícia, a situação voltou a ficar nervosa. Alguns manifestantes se aproximaram dos portões de acesso ao estádio, e a cavalaria se pôs entre os protestantes e os torcedores que entravam. Não houve agressões.
Por conta do protesto, as entradas do estádio próximas ao local onde ficam os manifestantes ficaram confusas. A Polícia Militar fez um cordão de isolamento, e as pessoas que verão o jogo só passam por este cordão mediante apresentação de ingresso. Famílias, algumas com crianças, ficaram assustadas com a presença dos manifestantes.
- Eu até concordo com o protesto e os ideais dele, mas precisam manifestar de maneira cuidadosa, pois há crianças e idosos que não têm nada com isso - disse o funcionário público Marcos Lima.
Sequência de protestos no Brasil
Esse é o segundo movimento de protesto direcionado para a Copa das Confederações. Nessa sexta-feira, também nas proximidades do estádio Mané Garrincha, manifestantes queimaram pneus como forma de protestar contra a organização da competição, que terá início neste sábado. Na quinta-feira, movimentos tumultados contra o aumento geral da passagem de ônibus terminaram em agressão da polícia militar em várias capitais do país, principalmente Rio de Janeiro e São Paulo.

protesto estudantes direção estádio Mané Garrincha (Foto: Gustavo Poli)A revolta se dá pelos gastos nas construções e reformas dos estádios, e o não investimento em escolas e creches e outras instituições, conforme escreveram manifestantes em faixas e cartazes.
Mulher sopra bolhas de sabão em direção dos policiais, que nada fazem (Foto: Gustavo Poli)
protesto estudantes direção estádio Mané Garrincha (Foto: Gustavo Poli)Polícia Militar forma barreira para impedir passagem dos manifestantes (Foto: Gustavo Poli)
Portões abertos Mané Garrincha Brasil x Japão (Foto: Marcelo Baltar)Portões do Mané Garrincha já estão abertos para os primeiros torcedores (Foto: Marcelo Baltar)
Protesto, Mané Garrincha (Foto: Gustavo Poli)Cavalaria da Polícia Militar chega ao Mané Garrincha (Foto: Gustavo Poli)
Protesto Brasilia Mané Garrincha (Foto: Gustavo Poli)Protestantes se aglomeram perto do estádio (Foto: Gustavo Poli)

1 commento:

  1. http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/06/dilma-defende-protestos-e-diz-que-governo-ouve-vozes-pela-mudanca.html

    RispondiElimina

Lasciate qui un vostro commento