giovedì 6 giugno 2013

Nonostante gli interventi del Governo brasiliano il dollaro continua a salire

Gli annunci dei giorni scorsi sulla riduzione degli stimoli monetari all' economia da parte del Governo americano sta determinando l'aumento del dollaro che  rischia di avere un impatto sulla inflazione brasiliana dal momento che l'aumento del prezzo dei prodotti importati può essere ripassato ai consumatori .

Il Governo brasiliano ha tentato nelle ultime ore di contenere l'aumento immettendo dollari sul mercato . Al momento però sembra non aver sortito alcun effetto .
O Banco Central (BC) voltou a atuar no mercado de câmbio ontem. A autoridade monetária fez uma operação de swap cambial tradicional, equivalente a um leilão para venda de dólares no mercado futuro. O objetivo é conter a alta do dólar. Mas a moeda voltou a subir.
No leilão de ontem, o BC vendeu US$ 1,37 bilhão no mercado futuro. O banco ofereceu 40 mil contratos, mas foram negociados 27,5 mil, com vencimento em 1º de julho deste ano. O BC também fez essa operação na última sexta-feira (31) e vendeu US$ 876,7 milhões no mercado futuro. A instituição não vendia dólares no mercado futuro desde 27 de março deste ano.

O dólar vem subindo devido a indicações de que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos) reduzirá os estímulos monetários que têm impulsionado a economia norte-americana nos últimos anos. Com a diminuição do volume de dólares em circulação, a moeda torna-se mais cara, o que afeta as cotações em todo o mundo.

Na terça-feira, o Ministério da Fazenda anunciou que a decisão de zerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para os estrangeiros que aplicam em renda fixa no Brasil. Desde outubro de 2010, a alíquota em vigor era 6%. A medida foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial da União.

A mudança estimula a entrada de recursos externos e, por consequência, ajuda a conter a alta do dólar. Um dólar mais estável é importante como uma das ferramentas para ajudar o governo a combater a inflação com o auxílio de produtos importados. Se o dólar está mais alto, os preços de produtos importados mais elevados são repassados aos consumidores no mercado interno.

Entretanto, ontem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou que isenção do IOF tenha como objetivo segurar o dólar para conter a inflação. Segundo Mantega, a medida apenas visa a adaptar o mercado de câmbio à nova realidade de menor liquidez internacional.

Mantega disse que o governo ainda estava avaliando se a redução a zero do IOF produziria efeito no preço do dólar. Ainda ontem a moeda voltou a subir. Com a alta, o BC decidiu atuar no mercado de câmbio.

Cotação da moeda chega a R$ 2,13, após oscilações
A eliminação da taxação de aplicações estrangeiras em renda fixa e a intervenção no Banco Central não impediram, porém, o dólar de fechar em alta. A moeda norte-americana encerrou a quarta-feira em R$ 2,1311, com alta de 0,10% em relação a terça-feira (4), em um dia de muita volatilidade no câmbio.

A cotação iniciou o dia em queda, depois da decisão do governo de zerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) cobrado dos estrangeiros que aplicam em investimentos de renda fixa no Brasil. A moeda norte-americana chegou a ser vendida a R$ 2,0946 por volta das 9h30.

Nas horas seguintes, porém, o dólar voltou a subir. A cotação atingiu R$ 2,1457 por volta das 11h45, o que levou o Banco Central a intervir no câmbio pela segunda vez nos últimos cinco dias. A autoridade monetária vendeu US$ 1,37 bilhão no mercado futuro, o que desacelerou a alta durante a tarde.

Fonte . Tribuna do Norte 

9 commenti:

  1. dove può arrivare con l'euro?

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Non so ma oggi l'ufficio cambi di Praia Shopping in Ponta Negra cambiava a 2,78 e c'era la fila !!

      Elimina
    2. e si perché il cambio ufficiale stava a 2,82, quindi anche onesti.
      Francamente non mi aspettavo uno scarto così repentino.

      Elimina
    3. le previsioni lo vedono a 3 a breve per poi stabilizzarsi 3/3,5 con l'europa in crisi il cambio favorevole attira capitali e anche turismo ricordiamoci che ci sono i mondiali il prox anno.ciao a tutti

      Elimina
  2. e difficile dire dove andra a finire il cambio ma arrivare a 3 reais per 1 euro mi sembra giusto.il cambio a 2.2 era assurdo considerando il servizio che si aveva in confronto al prezzo reale pagato.e anche vero che il reais e una moneta su cui si puo speculare poco essendo trattata solo in brasile.vedremo ma concordo col fatto che un cambio a 3 attirera piu turisti per i prossimi eventi internazionali.saluti

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Purtroppo per chi risiede qui in Brasile e non ha una attività legata al turismo l'aumento del flusso turistico farà solo levitare i prezzi di tutti i prodotti ( annullando l'effetto dell'aumento del cambio ).

      Elimina
    2. @ottoaprile
      e vero pero nella bilancia commerciale brasiliana e una manna con qualche milione di turisti in piu.
      il problema dei prezzi e sopratutto dato dal fatto che i grossi gruppi/commercianti ne aprofittano perche il brasile e forse uno dei pochi paesi autosufficienti per quanto riguarda il sostentamento basico(risorse naturali agricole e petrolio).se poi,l'eletronica viene a costare di piu e anche un problema di protezionismo coi dazi elevati.
      ma su questo punto,do ragione alle autorita brasiliane visto i pessimi risultati dell'apertura di mercato in europa seguita da grande perdita di posti di lavoro per un invasione di prodotti dall'asia.
      non penso comunque che il cambio possa andare molto oltre 3 reais per 1 euro e non ci saranno grossi sconvolgimenti anche sull'inflazione.
      almeno lo spero visto che mi piace il brasile.

      Elimina
  3. ciao ottoaprile,
    mi confermi che se si hanno "pezzi" da 500 euro e piu facile ottenere un buon cambio in giro nei vari uffici cambi?(ovviamente non parlo di banche)
    grazie e ciao

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Non sono a conoscenza di questo fatto qui a Natal .

      Elimina

Lasciate qui un vostro commento