martedì 19 novembre 2013

La " Procuradoria Geral da Republica " richiede l'estradizione di Pizzolato o il compimento della condanna in Italia


Ficha de Henrique Pizzolato no site da Interpol (Foto: Reprodução)O nome do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi incluído na lista de procurados pela Interpol (Foto: Reprodução)
A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou documento ao Supremo Tribunal Federal (STF) no qual pede que a Corte cobre providências do Ministério da Justiça em relação à fuga para Itália de Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil condenado no processo do mensalão. Pizzolato teve prisão decretada na última sexta (15) e está foragido desde então.
O documento foi assinado pela subprocuradora Ela Wiecko porque o procurador-geral, Rodrigo Janot, está em viagem internacional.
No documento encaminhado à Suprema Corte, a PGR recomenda que o governo brasileiro peça a extradição de Pizzolato às autoridades italianas mesmo ele tendo cidadania italiana.
Alternativamente, caso a extradição não seja possível, o Ministério Público quer que a pena de 12 anos e 7 meses imposta a Pizzolato pelo Supremo no processo do mensalão seja cumprida na Itália. Segundo a Procuradoria-Geral, essa possibilidade está prevista em tratados internacionais.
Caso nenhuma das duas alternativas seja possível, a PGR pede que o ex-diretor do Banco do Brasil seja julgado novamente na Itália com base em todas as provas coletadas na ação penal.
A Procuradoria reivindica ainda na peça judicial que o nome de Henrique Pizzolato seja inscrito na divisão vermelha da Interpol, no entanto, essa providência já foi tomada durante o final de semana.

7 commenti:

  1. Un pessimo affare per il contribuente italiano che si troverà un'altra bocca da sfamare per 12 anni e 7 mesi !

    RispondiElimina
  2. La pensione di 25mila rs, che non gli hanno sospeso, che la girino al ns ministero dela giustizia allora!

    RispondiElimina
  3. Ecco l'attendibilita' della stampa brasiliana:

    O Globo :Mensalão: Pizzolato teria fugido com documentos falsos Itália, destino do brasileiro, afirma que não forneceu 2ª via de passaporte para o ex-diretor de marketing do BB

    Estadao : Autoridades italianas sabiam da situação de ex-diretor do BB
    Mesmo com condenação pelo mensalão e retenção de passaportes, Pizzolato obteve 2ª via de documento

    Folha de São Paulo : Pizzolato voou sem passaporte da Argentina para a França, dizem amigos

    O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato fugiu para a Itália sem usar passaporte, segundo amigos. Ele teria ido para a Argentina, onde usou um documento chamado carta de autorização para seguir rumo à Europa.

    RispondiElimina
    Risposte
    1. La stampa brasiliana o non è quasi sempre inattendibile . Vedi tutto quello che è stato scritto sul caso Battisti . In aggiunta , in casi come questi , false piste sono create ad arte per sviare le indagini .

      Elimina
  4. L'Italia non permetterà l'estradizione di Pizzolato non solo perchè è cittadino Italiano entrato regolarmente (via strada ferrata) in territorio Italiano ma perchè, e questo nessuno lo ha ancora detto, il Pizzolato risulta residente in Emilia e come tale (residente) paga le tasse in Italia sui trasferimenti di quattrini che sta facendo da 11 anni con il nostro Paese.......non è fieno del mio fienile ma di Dagospia........mah, a volte questo qui ci azzecca. Infine, perchè consegnarlo alle autorità Brasiliane?

    RispondiElimina
  5. Trovato adesso,digitando "Pizzolato" su google notizie

    Non ho parole.

    Polícia Federal investiga fuga de PizzolatoNome de condenado aparece em lista de embarque para a Itália no dia 20, quando a prisão dele já havia sido pedida. Agente pode ter fraudado documento como protesto por salário


    Grasielle Castro

    Publicação: 23/11/2013 06:00 Atualização: 23/11/2013 07:57



    A Polícia Federal identificou e ouviu nessa sexta-feira o suspeito de ter fraudado o sistema de controle de imigração do aeroporto de Guarulhos ao incluir o nome do ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato na lista de embarque para a Itália no dia 20. O documento da PF mostrava que Pizzolato teria deixado o Brasil em um voo, na quarta-feira, com destino à Europa. De acordo com o documento, ele teria passado pela alfândega às 14h38. No registro da imigração, o nome do ex-banqueiro, que está foragido da polícia, aparece com a grafia errada: "Pizzolatoo". Na quinta-feira, a PF informou que a suspeita era de que um policial do órgão teria forjado o documento, como parte dos protestos que têm ocorrido na instituição por melhores salários. O órgão, entretanto, destacou que só vai se pronunciar quando o inquérito for concluído. O prazo é de 30 dias, a contar da data em que as investigações foram iniciadas (21 de novembro), prorrogável por período indeterminado.

    RispondiElimina
  6. dopo battisti con stogaz gli e lo restituiscono

    RispondiElimina

Lasciate qui un vostro commento