giovedì 2 gennaio 2014

Il Governo utilizza la "finanza " creativa " per migliorare artificialmente la bilancia commerciale

A balança comercial brasileira registrou um superávit (exportações menos importações) de US$ 2,56 bilhões em 2013, o pior resultado para um ano fechado desde 2000 – quando foi apurado um déficit de US$ 731 milhões, segundo números divulgados nesta quinta-feira (2) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

No último ano, ainda segundo números oficiais, as exportações somaram US$ 242,17 bilhões, com média diária de US$ 957 milhões e queda de 1% frente ao ano anterior, ao mesmo tempo em que as importações totalizaram US$ 239,61 bilhões no úlitmo ano – com média de US$ 947 milhões por dia útil e alta de 6,5% sobre 2012.O resultado do ano passado representa uma forte piora em relação a 2012 - quando foi contabilizado um superávit de US$ 19,39 bilhões nas transações comerciais do Brasil com o exterior. Com isso, o saldo positivo da balança caiu 86% em 2013, informou o governo. Em 2011, o saldo positivo havia sido maior ainda: de US$ 29,79 bilhões.

Razões para o fraco resultado

De acordo com o governo, a piora do resultado comercial do ano passado está relacionada, principalmente, com o processo de manutenção de plataformas de petróleo no Brasil, que resultaram na queda da produção ao longo de 2013, e, também, com o aumento da importação de combustíveis para atender à demanda da economia brasileira.

Somente a chamada "conta petróleo", que engloba as transações comerciais deste produto, e de combustíveis e lubrificantes, resultou em um déficit comercial (importações maiores do que vendas externas) superior a US$ 20,27 bilhões em 2013 - contra um saldo negativo de US$ 5,59 bilhões no ano anterior.

O fraco resultado da balança comercial no ano passado também tem relação com a crise financeira internacional - que diminui as exportações brasileiras. "Mercados para os quais tradicionalmente exportamos muito ainda estão com demandas desaquecidas. Em especial, o mercado europeu", declarou Godinho, secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento.

Também houve, em 2013, atraso na contabilização da importação de combustíveis e derivados. Isso aconteceu porque, em de 2012, a Receita Federal editou a instrução normativa 1.282, que concedeu um prazo de até 50 dias para registro das importações de combustíveis e derivados feitas pela Petrobras. Normalmente, as empresas têm 20 dias para fazer o registro.

Com isso, cerca de US$ 4,5 bilhões em importações de petróleo e derivados que aconteceram, de fato, em 2012 foram contabilizadas somente neste ano pelo governo federal - impactando para baixo o resultado de 2013 na mesma proporção.

Sem plataformas ‘exportadas’, haveria déficit

Os dados oficiais mostram, porém, que o saldo comercial do ano passado só foi positivo por conta da “exportação” de plataformas de petróleo que, na realidade, nunca deixaram o Brasil. Essas operações somaram US$ 7,73 bilhões em 2013.

As plataformas foram compradas de fornecedores brasileiros por subsidiárias de empresas, como a Petrobras, no exterior e depois "internalizadas" no país como se estivessem sendo "alugadas", mesmo sem saírem fisicamente do Brasil. Esse expediente permite às empresas do setor recolher menos tributos.

A “exportação” de plataformas de petróleo, que não saíram de fato do Brasil, nunca foi tão alta quanto no ano passado (US$ 7,73 bilhões). O maior valor “exportado”, antes de 2013, havia sido registrado em 2008 (no valor de US$ 1,48 bilhão). Em 2012, as "vendas" ao exterior de plataformas somaram US$ 1,45 bilhão.

Essas operações, embora inflem artificialmente o saldo da balança comercial, não são ilegais, uma vez que foram feitas ao amparo do Repetro (regime especial do setor). Esse tipo de expediente vem sendo usado desde 2004.

O MDIC informa que, quando há exportação de plataformas, existe venda de um fabricante nacional para um importador domiciliado no exterior, com transferência de titularidade. Segundo o governo, também há pagamento em moeda estrangeira e entrada de recursos no país.

De acordo com as normas e critérios internacionais, diz o MDIC, é “uma exportação para fins fiscais e contábeis” – mesmo sem as plataformas terem deixado fisicamente o Brasil.
Expectativa para 2014 e 2015

Para 2014, os economistas dos bancos acreditam que a balança comercial registrará alguma recuperação, atingindo US$ 8 bilhões de superávit, com exportações em US$ 252 bilhões e importações em US$ 244 bilhões. Em 2015, o mercado financeiro espera novo aumento do saldo positivo da balança comercial, desta vez para US$ 12 bilhões (US$ 268,9 bilhões de exportações e US$ 254,1 bilhões de compras do exterior).

Fonte : Globo


14 commenti:

  1. la madre di mia moglie che ha una postepay ha prelevato il 31/12 350 RS da atm bradesco a portalegre per un controvalore di UDITE UDITE 93,11 Euro poi ci sono 5 euri di commissione come è posibile!!??.
    Saluti Stefano.

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Stefano è sbagliato lo strumento. Postepay opera sul circuito Visa Electron che applica 5 euro fissi di spese + commissioni di cambio + 4% commissioni prelievo contanti: un absurdo.
      In questo blog si è più volte detto che il modo in assoluto più conveniente e sicuro per prelevare contanti in Brasile è il bancomat su circuito Maestro. Postepay semplicemente NON è un bancomat.

      Elimina
    2. che io sappia è il metodo più conveniente per mandare soldi (pochi) in brasile dall'italia essendo privi di conto corrente. poi sul 4% di commisione non so! mi sembra che di solito il cambio è di poco inferiore al cambio ufficiale come con le altre carte.
      grazie di tutto saluti Stefano.

      Elimina
  2. E il cambio infatti cambia ....

    RispondiElimina
    Risposte
    1. si ma non siamo mai arrivato a 3,75 in questi gg che io sappia?

      Elimina
    2. Ancora no ma mai dire mai Stefano ... io spero di no.

      Elimina
    3. Domanda a Marco Falco: ...e carta di credito con circuito Mastercard? Che ne dici?
      Auguri e ciao. Daghy

      Elimina
    4. secondo me ne hanno prelevati 300 e con il cambio ci saremmo ma mia moglie dice che è andata la nipote e ha prelevato 350 mah secondo me non si sono capite.

      ciao. stefano

      Elimina
    5. allora non si sono sbagliati il prelievo e stato di 300 rs cambio a 3,22 come da cambio saluti stefano.

      Elimina
    6. Postepay applica il tasso di cambio Visa senza maggiorazioni come specificato nel foglio informativo http://www.poste.it/resources/bancoposta/pdf/trasparenza/FI_PP.pdf .Il tasso di cambio Visa è calcolabile sul sito http://corporate.visa.com/pd/consumer_services/consumer_ex_rates.jsp .

      Mauro2

      Elimina
  3. digli di verificare bene....può essere un errore ma generalmente gli ATM non sbagliano cambio. mentre i 5 euro corrispondono ai 15 reais di oggi per operazione...più o meno ci siamo.

    RispondiElimina
  4. Buon 2014 a tutti!
    Per me, il calcio potrebbe persino sparire dalla faccia del pianeta terra! Purtroppo è vero, gran parte dei brasiliani ne fa una religione, come ben definisce l'articolo sopracitato.
    Auguri ad Antonio! Daghi

    RispondiElimina
  5. Correggo...l'articolo si trova nella pag. del lunedì 6 gennaio 2014. Daghi

    RispondiElimina
  6. scusate se ha prelevato 350 reais e le hanno addebitato 93,11 euro (lasciamo stare i 5 euro fissi di commissione ) significa che hann cambiato 1 euro a 3,75 reais più o meno !!! se fosse vero benediciamo quella postapay e quel atm bradesco e corriamo tutti li a prelevare!!

    RispondiElimina

Lasciate qui un vostro commento