mercoledì 5 febbraio 2014

Pizzolato arrestato a Maranello . Termina la latitanza dell'ex dirigente del Banco do Brasil fuggito in Italia dopo la condanna in Brasile

A Polícia Federal informou nesta terça-feira (5) que o ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, único dos 25 condenados considerado foragido no processo do mensalão, foi preso na Itália. De acordo com a PF, a operação foi em conjunto com a polícia italiana.

Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão por formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. Sua prisão foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) após o julgamento do último recurso, em 13 de novembro. A pena deve ser cumprida em regime fechado, em presídio de segurança média ou máxima.

Pizzolato foi encontrado em Maranello, cidade famosa por abrigar a fábrica e museu da Ferrari. A polícia local informou que ele foi levado para Modena, a cerca de 21 km de distância.

O comandante da polícia da província de Modena, Carlo Carrozzo, informou ao G1 que o motivo da prisão do ex-diretor no país europeu foi um mandado de prisão internacional. No momento da prisão, Pizzolato estava com a mulher.

A assessoria da PF informou que “aparentemente ele estava com um documento falso”, mas não há confirmação se era o passaporte.

Ainda conforme a PF, Pizzolato foi encontrado na casa de um sobrinho e estava sendo monitorado.

Fuga

Após a expedição dos primeiros mandados de prisão na ação do mensalão, Pizzolato anunciou, por meio do advogado, que deixou o país e foi para a Itália. Ele tem dupla nacionalidade e teria saído do território brasileiro 45 dias antes de ter a prisão decretada.

A Interpol (polícia internacional) incluiu o nome e a foto do ex-diretor do Banco do Brasil na lista de procurados internacionais, chamada de difusão vermelha. O nome continua na lista, ao lado da foto do passaporte do irmão, Celso Pizzolato (Veja foto abaixo).


O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quarta-feira (5) que tomará “todas providências necessárias” para que o ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato seja extraditado da Itália para o Brasil.

"Uma vez que há mandado de prisão, comunicaremos ao Supremo da prisão e tomaremos todas as medidas necessárias [para que Pizzolato cumpra a pena no Brasil]”, afirmou.

Se o governo italiano negar, o Brasil poderá enviar dados do processo do mensalão para que Pizzolato passe por novo julgamento na Itália (Entenda como funciona a extradição).

Fonte : Globo 

3 commenti:

  1. Teniamolo in Itália! Battisti lo mantengono i contribuenti brasiliani Pizzolato almeno i soldi li potra´spendere solo da noi!

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Mi rispondo da solo: se vogliamo fare um ``dispetto`` al PT e al suo capo etilico rimandiamolo qui in Brasile..pare abbia molto da raccontare!

      Elimina
  2. è una ulteriore conferma che gli operativi preposti alla sicurezza del Paese Italia funzionano e bene! Congratulazioni a loro ed un sentito ringraziamento. Il problema è che ora si sale di livello e si arriverà alla "politica" ed alla "Farnesina" e lì succederanno pastrocchi certi. Così come quando la GdF riesce a mettere le mani (individuare e arrestare) evasori fiscali che poi dopo qualche ora sono già liberi perchè la "politica" vuole così.......Sinceramente avrei preferito non fosse fuggito in Italia, Per me che vivo in Brasile ora inizia la solita "tiritera" dei carcamano Italiani......che qui nel SudEst (RJ) i carioca ed i paulisti insieme ai mineiri tirano sempre fuori all'occorrenza. Spero mettano questo tizio su di un aereo e lo rispediscano in Brasile! La storia del Battisti è una vergona per noi Italiani.....fintanto che era in Francia, e lo sapevamo, mai ci siamo mossi e mai abbiamo emesso un ordine di arresto internazionale con le palle. Ci eravamo limitati a delle segnalazioni di pericolosità dell'individuo assassino......beh lascio perdere perchè se ne è già parlato oltremodo.

    RispondiElimina

Lasciate qui un vostro commento