Home Vivere in Brasile I prezzi medi degli alberghi nel Nordeste durante la Copa2014

I prezzi medi degli alberghi nel Nordeste durante la Copa2014

2
0
CONDIVIDI

L’articolo riporta i prezzi medi in hotel per il periodo della Copa 2014 nel caso delle capitali del Nordeste : Recife , Natal , Salvador , Fortaleza .
A dispetto dei prezzi altissimi riportati noi offriamo appartamenti a Ponta Negra completi di tutto a soli R$ 350/diaria per un minimo di sette giorni contro i  R$678 medi per una stanza di albergo sulla Via Costiera . Se avete intenzione di assistere dal vivo a Italia – Uruguai non mancate di contattarci .

Das quatros cidades-sede da Copa do Mundo no Nordeste, Natal tem o segundo maior preço médio de hospedagem para os dias de jogos do mundial da Fifa. A média é de R$ 678, segundo informações divulgadas ontem pelo Trivago, maior comparador de preços de hotéis do mundo.

Adriano AbreuImagem aérea de Natal: hotéis da cidade terão as diárias mais altas no jogo Uruguai x ItáliaImagem aérea de Natal: hotéis da cidade terão as diárias mais altas no jogo Uruguai x Itália

A pesquisa Trivago inclui 231 hotéis em Natal. A menor diária é no jogo de estreia ente México e Camarões, no dia 13 de junho. A maior, no dia 24. R$ 802 para Uruguai e Itália.

As diárias mais caras são as do Recife. R$ 782 em média. Natal vem em segundo lugar com R$ 678, Salvador em terceiro (R$ 639) e Fortaleza em quatro com média de R$ 623, apesar de ser a única capital nordestina a receber um jogo do Brasil na fase inicial da Copa.

Quando se trata de partidas em que o Brasil entra em campo, os valores duplicam de preço. Quem quiser dormir em Brasília na noite em que a seleção encara Camarões, 23 de junho, terá de pagar R$ 1.013, em média, pelo pernoite. A noite mais barata para uma hospedagem em dia de jogo das oitavas-de-final da Copa do Mundo ocorre em Salvador, no dia 1° de julho, quando a média do pernoite está em R$ 487. O valor médio mais caro, no entanto, fica por conta de Brasília, com uma média de R$ 980.

Abusos


A Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon) chegou a notificar as principais associações e redes hoteleiras, no final do ano passado, para prestarem esclarecimentos sobre os valores cobrados pelas diárias no período da Copa do Mundo de 2014.

A ação ocorreu após uma série de denúncias de órgãos de proteção e defesa do consumidor em que foram apontados indícios de aumento abusivo de preços e violação das normas de direito do consumidor. Dados apresentados pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) e que fazem parte de um levantamento a respeito das tarifas cobradas por hotéis durante a Copa do Mundo, mostraram, em junho de 2013, que as tarifas hoteleiras nas cidades-sede poderão estar até 376,4% mais caras para a Copa do Mundo Fifa 2014 em comparação aos preços cobrados normalmente e também mais caras do que estarão durante a Copa das Confederações.

Em fevereiro deste ano, o presidente do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), que representa 25 redes em atuação no País, Roberto Rotter, afirmou que não haverá uma alta generalizada de preços do setor durante o evento esportivo. “A tarifa pode ser mais cara sim, principalmente quando houver jogos mais interessantes, como os do Brasil. Em contrapartida, nos dias sem partidas, isso não vai acontecer. É preciso lembrar que essa alta de preços responde à demanda”, explicou o executivo, cujas 25 redes hoteleiras englobam 600 hotéis e respondem por 18% dos apartamentos ofertados no Brasil.

Ele reconheceu, no entanto, a existência de casos específicos que fogem do comum. “Um hotel pode praticar uma política isolada e isso acabar vindo a publico. Isso acontece, mas não é generalizado. As redes não seriam irresponsáveis de subir demais o preço de uma diária”, disse. Segundo Rotter, mais importante do que lucrar durante a Copa é fazer que os visitantes voltem.

Fonte : Tribuna do Norte 

LASCIA UN COMMENTO

Please enter your comment!
Please enter your name here