mercoledì 9 settembre 2015

Il Brasile perde l'investment grade !

Alla fine è accaduto davvero : Il Brasile ha perso l'investment grade da parte della nota Agenzia di valutazione del rischio : Standard & Poor dovo averla ottenuta nel 2009 . La classificazione è passata da BBB- a BB+ . Le conseguenze di questo ribassamento , anche se parzialmente previste ed incorporate  dai mercati , saranno comunque catastrofiche poichè il governo ha ben pochi mezzi per reagire .



O Brasil perdeu o grau de investimento na classificação de crédito da Standard and Poor's (S&P), informou a agência de classificação de risco nesta quarta-feira (09). A nota do país foi rebaixada de "BBB-" para "BB+", com perspectiva negativa.Em seu comunicado, a agência chama a atenção para a deterioração fiscal e a falta de coesão da equipe ministerial, como causas da decisão de rebaixar a nota.
"Os desafios políticos que o Brasil enfrenta continuam a pesar na capacidade do governo e vontade de submeter ao Orçamento de 2016 ao Congresso consistente com a política de ajuste fiscal assinalada durante o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff”, destaca a S&P. 
Segundo a agência, a proposta do Orçamento do governo para 2016 mostra “mais um desafio para a meta fiscal menos de seis semanas” após a última revisão da nota brasileira. Para a S&P, esse desafio “poderia significar três anos seguidos de déficit primário e aumento contínuo da dívida  se os rendimentos subsequentes ou medidas de cortes de gastos não forem tomadas”.


Justificativas
Em resumo, a agência justificou o rebaixamento com base em 3 pontos:

- Os desafios políticos que o Brasil enfrenta continuam a pesar na capacidade do governo e vontade de submeter ao Orçamento de 2016 ao Congresso consistente com a política de ajuste fiscal assinalada durante o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff”, afirmou a agência em sua avaliação.
 A proposta do Orçamento do governo para 2016 mostra “mais um desafio para a meta fiscal menos de seis semanas” após a última revisão da nota brasileira. Para a S&P, esse desafio “poderia significar três anos seguidos de déficit primário e aumento contínuo da dívida se os rendimentos subsequentes ou medidas de cortes de gastos não forem tomadas”.
- A perspectiva negativa, de acordo com a agência, reflete uma probabilidade de ‘um em três” de um novo rebaixamento devido à deterioração da situação fiscal do país, e uma mudança potencial da dinâmica política, incluindo uma falta de coesão dentro do gabinete presidencial, ou devido a uma turbulência econômica 
Selo de bom pagador
No mercado financeiro, a nota de um país funciona como um "certificado de segurança" que as agências de classificação dão a países que elas consideram com baixo risco de calotes a investidores.
A S&P é a primeira agência entre as maiores a tirar o grau de investimento do Brasil. Na Moody´s, o país está no último degrau, antes do grau especulativo. Na Fitch, o Brasil segue dois degraus acima.
O grau de investimento é um selo de qualidade que assegura aos investidores um menor risco de calotes. A partir da nota de risco que determinado país recebeu, os investidores podem avaliar se a possibilidade de ganhos (por exemplo, com juros maiores) compensa o risco de perder o capital investido com a instabilidade econômica local.
O Brasil conquistou o grau de investimento pelas agências internacionais Fitch Ratings e Standard & Poor’s em 2008. Em 2009, conquistou a classificação pela Moody’s.
 
Fonte :Globo 

7 commenti:

  1. E adesso sono "uccelli per diabetici" come si suol dire. La speculazione finanziaria si scatenerà ancora di più.
    Forse è giunta l'ora che tutti i politici inizino a pensare un po' di più al bene comune piuttosto che a fare demagogia.
    Dilma ha le proprie responsabilità innegabili ma anche le opposizioni non sono meglio.
    Che futuro per il Brasile e per chi ci ha investito?

    RispondiElimina
  2. Leggo anche su Repubblica Economia e Finanza...




    MAZZATA DI S&P sul Brasile : ora il debito e’ Spazzatura. Cosi’ si sfaldano i Brics. Da BB+ a BBB-. L'agenzia di rating ha declassato il giudizio sul Paese sudamericano, dove scandali, corruzione e deficit galoppante hanno tramortito la crescita economica.

    Qesto il giornale della Propagnada della Sinistra Italiana, Zerbino filoamericano.

    Basta guardare la classifica di S&P di Gen. 2015, dovel’Italia e’ BBB- , il cui Governo ha tramortito il Paese con Corruzione, Deficit galoppante scandali e mafia . Quale la differenza?? Che il Brasile ha un rapporto Deb- Pil la meta’ dell’Italia, ma Loro sono nei Brics e pertanto Paesi da Punire e Degradare in ogni modo.


    RispondiElimina
  3. Crisi ampiamente previsibile senza sorprese! Il cappio al collo se lo sono messi da soli e il peggio deve ancota arrivare e per chi ha del denaro pronto c'e' la possibilita' di fare buoni affari.

    RispondiElimina
  4. ...tipo? quali affari?

    RispondiElimina
  5. l°anonimo che scrive si chiama Paolo Barrai...

    RispondiElimina
  6. Losco personaggio il barrai...

    RispondiElimina
    Risposte
    1. Uscire dall'anonimato per favore . Anonimi che sparano su altri anonimi , non è lo stile del Blog e non è interessante per i lettori .

      Elimina

Lasciate qui un vostro commento