Home costo della vita Continua senza previsione lo sciopero dei bancari

Continua senza previsione lo sciopero dei bancari

19
2
CONDIVIDI

 Lo sciopero dura ormai da 15 gg ed ha paralizzato le Agenzie di tutto il Paese. Le casse automatiche sono superaffollate , soprattutto in questo inizio di mese , proibitivo ritirare soldi con la carta di credito .


Tutte le attività di apertura conto ( privati o società ) nonchè di sbocco di soldi provenienti dall’estero e che richiedono la firma di un contratto di cambio sono sospese . Pertanto consiglio coloro che si trovano in questa situazione di armarsi di pazienza ed aspettare anche perchè dal momento in cui cesserà lo sciopero a quello in cui le pratiche cominceranno ad essere processate regolarmente passerà un’altra buona settimana . 

E’ bene sapere che la paralizzazione NON esenta i creditori dal pagamento puntuale delle loro obbligazioni .



A greve dos bancários chegou nesta terça-feira ao 13º dia sem que haja acordo entre os bancários e a Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

De acordo com balanço feito pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região houve a paralisação de 733 locais de trabalho (sendo 717 agências bancárias e 16 centros administrativos). O sindicato tem 2.835 agências bancárias em sua base.

De acordo com estimativas do sindicato, cerca de 29 mil trabalhadores participaram das paralisações. A Febraban não possui estimativa similar, já que, segundo a federação, a greve é muito dinâmica — agências podem ficar parte do dia abertas ou fechadas, por exemplo.

De acordo com a Febraban, não há nenhuma negociação marcada com os sindicatos, e está mantida a proposta de reajuste salarial de 6,1%. Os bancários reivindicam reajuste de 11,93%.

Durante o período de greve, o autoatendimento nos caixas eletrônicos continua funcionando normalmente.

REIVINDICAÇÕES

Os bancários reivindicam, principalmente, reajuste salarial de 11,93% –sendo 5% de aumento real, maior participação sobre lucros e resultados e fim das exigências de mínimo de venda de produtos do banco por seus funcionários.

Eles pedem também um piso salarial de R$ 2.860,21.

COMO ENFRENTAR A GREVE
A paralisação não isenta o consumidor de pagar suas contas dentro do prazo estipulado pelo credor.

Para evitar eventuais encargos, como multas e juros pelo não pagamento da dívida em dia, a primeira atitude é ligar para a agência na qual possui conta para saber se ela aderiu à greve. Caso tenha aderido, procure saber se outra agência está operando.

Na impossibilidade de utilizar uma agência bancária, a solução é procurar, o quanto antes, o credor e solicitar outra opção de local para efetuar o pagamento, como internet, sede da empresa, casas lotéricas, código de barras para pagamento nos caixas eletrônicos, e outros.

A greve não afeta o funcionamento dos caixas eletrônicos das instituições financeiras.

De acordo com o Procon-SP, diante de um cenário de greve, as empresas são obrigadas a oferecer outro local de pagamento. Se o fornecedor se recusar a disponibilizar uma alternativa, o cliente deve documentar sua tentativa e registrar uma reclamação junto ao Procon.

COMPROVANTES

O cliente deve guardar os comprovantes, tanto os que indicam que ele buscou o credor para solicitar outra forma de pagamento, quanto os comprovantes de pagamento feitos por outros canais, como internet e telefone.

“No caso da internet, o comprovante pode ser impresso. Pelo telefone, o consumidor deve anotar o número do protocolo”, diz o Idec (Instituto Nacional de Defesa do Consumidor).

ÁGUA, LUZ E TELEFONE

As contas de serviços públicos como água, luz e telefone não precisam necessariamente ser pagas nas agências bancárias. É possível quitar em casas lotéricas e em alguns supermercados.

CONTAS EM ATRASO

Para quem tem conta como luz, água, telefone, gás em atraso, a orientação é fazer o pagamento normalmente pelos canais alternativos do banco (internet, telefone, correspondente bancário).

As próprias concessionárias de serviço público costumam inserir os juros e as multas na conta do mês seguinte.

No caso dos títulos de cobrança –condomínio, escola, academia, financiamentos– a orientação da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) é pedir ao cedente do título um novo boleto já com os valores atualizados ou fazer o pagamento pelo Débito Direto Autorizado (DDA).

O DDA é um serviço de apresentação eletrônica de boletos bancários, que permite ao cliente realizar o pagamento de boletos eletronicamente.

Caso o boleto seja do próprio banco e a agência estiver fechada, o pagamento pode ser feito no site do banco. Lá, é possível solicitar nova via de boleto em atraso, mesmo para pessoas que não são correntistas.

Basta acessar o serviço de atualização de boleto, na página inicial do banco emissor do título de cobrança. Em seguida inserir a numeração do código de barras do boleto, o site irá gerar um novo boleto para pagamento.

Com o boleto atualizado, é possível pagá-lo pelos canais alternativos do banco.

Fonte : Folha de Sao Paulo 

CONDIVIDI

2 Commenti

  1. Beh tutti gli anni i bancari si fanno 20/30 gg di ferie collettive in questo periodo non e' una novita'! Basterebbe che la "greve" fosse "sem vencimento" cioe' non pagata che le cose cambierebbero

LASCIA UN COMMENTO

Please enter your comment!
Please enter your name here