Home lavoro Dottoressa cubana lascia MAIS MEDICOS per protesta contro il Governo di Cuba...

Dottoressa cubana lascia MAIS MEDICOS per protesta contro il Governo di Cuba che trattiene il 90% del salario

26
3
CONDIVIDI



L’AMB ( Associazione Medica Brasiliana ) ha deciso di assumere la dottoressa cubana Ramona Rodriguez che aveva abbandonato il programma MAIS MEDICOS per protesta contro il fatto che mentre tutti gli altri medici guadagnavano R$10 000 al mese i medici cubani guadagnavano solo R$ 960 in quanto la parte restante era trattenuta dal governo di Cuba . 


La dottoressa è stata assunta con funzioni amministrative in quanto per contratto non può esercitare la professione di medico sino a che non completa il processo di validazione della laurea . Nella nuova funzione la dottoressa riceve uno stipendio complessivo di circa  R$ 4000 .


C’è da dire che la AMB è sempre stata contraria al programma MAIS MEDICOS e per alcuni questa sarebbe solo una mossa politica per gettare discredito sul programma governativo .

A médica cubana Ramona Rodriguez, que abandonou o programa Mais Médicos, foi contratada nesta terça-feira (11) pela Associação Médica Brasileira (AMB) para exercer funções administrativas de assessoria às diretorias da instituição e à presidência da entidade.

O salário da médica será de R$ 3 mil por mês, além de vale-refeição, vale-transporte e plano de saúde – no total, a remuneração da cubana deve receber em torno de R$ 4 mil. De acordo com a instituição, Ramona atuará no escritório da instituição em Brasília.

Ramona Rodriguez atuava pelo programa Mais Médicos na cidade de Pacajá (PA). Ela está em Brasília desde 1º de fevereiro e disse que deixou o programa por não concordar que os médicos vindos de Cuba recebam US$ 400 (aproximadamente R$ 960) enquanto profissionais de outros países participantes do programa têm salário de R$ 10 mil por mês. A remuneração dos cubanos é feita pelo governo de Cuba, por meio de um acordo com a Organização Panamericana de Saúde (Opas), para a qual o Brasil repassa o dinheiro da contratação dos médicos.

Durante a assinatura do contrato, Florentino Cardoso, presidente da AMB, afirmou que a entidade decidiu contratar a médica por considerar que ela estava “abandonada” no Brasil.

A médica deve começar a trabalhar nesta quarta (12), das 8h às 18h, com duas horas de intervalo para almoço, mas pode optar por fazer oito horas sem intervalo. Segundo a AMB, Ramona Rodriguez receberá 13º salário.
“Não podemos admitir um médico trabalhado no Brasil ganhando US$ 400. (…) Queremos muito que a doutora trabalhe conosco e terá nosso apoio para fazer o Revalida [programa de revalidação do diploma médico] e, se quiser atuar como médica, irá trabalhar e exercer a profissão”, disse.

Em nota divulgada à imprensa, a AMB afirmou que “as sérias denúncias feitas pela profissional estrangeira chamaram a atenção de toda sociedade, assim como das entidades representativas da categoria médica”. Ainda na nota, a instituição criticou o Mais Médicos e afirmou que o programa foi implementado no país de maneira “irresponsável”.

Na avaliação do presidente da AMB, o programa Mais Médicos é “propaganda enganosa”. “Eu não poderia falar em nome de todos os médicos, mas posso assegurar, depois de conversar com a doutora Ramona, que ela foi enganada, sim”, completou.

Após reunião no Ministério Público do Trabalho nesta segunda-feira (10), o procurador Sebastião Caixeta, responsável por inquérito que apura o Mais Médicos, afirmou que as leis trabalhistas brasileiras, como férias remuneradas e 13º salário, são desrespeitadas.

“As entidades médicas, de maneira unânime, sempre se manifestaram contrárias ao desenho que está feito do Mais Médicos. Nós, jamais, poderíamos dizer que somos contra mais médicos, porque isso não é racional. O que nós sempre defendemos foi que a fronteira brasileira deve estar aberta, mas para os médicos trabalharem e as leis vigentes devem ser respeitadas”, comentou o presidente da AMB.

Após abandonar o Mais Médicos, Ramona Rodriguez recebeu abrigo no gabinete da liderança do DEM na Câmara dos Deputados e depois na residência de um parlamentar do partido oposicionista. Ela fez solicitação de refúgio e terá o caso analisado pelo Conselho Nacional para Refugiados (Conare).

Ministro defende programa

Na semana passada, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, defendeu os termos do acordo com o governo de Cuba, por intermédio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), para o envio de médicos ao Brasil.

“O processo de relação que se estabelece entre o governo cubano e a Opas se dá nos termos da cooperação internacional do governo cubano com a Opas, de acordo com o conjunto de regramentos que há para os funcionários públicos de Cuba, seu regime de previdência, seu regime salarial, a modalidade que eles fazem contratação, que é estabelecido, insisto, não pelo Brasil, mas pela cooperação entre Organização Pan-Americana e governo de Cuba”, disse.

Estados Unidos

Questionado se tinha informações sobre uma possível ida da médica Ramona Rodriguez para os Estados Unidos, o presidente da AMB, Florentino Cardoso, afirmou que dará “apoio” a “qualquer decisão que ela tome, seja ir para os EUA ou permanecer no Brasil”.

Na última semana, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, apontou motivação “política” para as críticas ao programa Mais Médicos.

Cardoso afirmou que a entidade “não tem nenhum candidato” e que o programa é “bandeira política” do governo federal e do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, possível candidato do PT ao governo de São Paulo.

Fonte : Globo 

CONDIVIDI

3 Commenti

  1. 10.000 al mese (+ vitto e alloggio gratis) sono una barca di soldi. e questi st…zi di medici brasiliani si rifiutano di andare a lavorare in quartieri o zone "disagiate" a queste condizioni!!!
    io ci andrei pure per 5000 al mese… vai nella cittadina "disagiata", ti danno casa e vitto, con 10000 fai l'IMPERATORE!
    macchè, questi non ci vanno perchè magari non c'è lo shopping e il ristorante di lusso…
    ho letto di una medica che per convincerla a lavorare in una cittadina dell'interior le hanno dovuto dare 30.000 al mese, più del presidente della repubblica… poi tutti a dare addosso ai politici…
    i medici brasiliani sono una lobby NAZISTA.
    lucio.

  2. Sinceramente, tutta la storia dei medici cubani non é normale; il percorso di laurea di un medico ( in Brasile, in Itlaia, ecc…) é tra i piú lunghi che ci siano, e chissá come sono contenti i medici brasiliani, di sapere che il governo assume medici cubani. Inoltre il problema della lingua non é indifferente, questi medici cubani sono preparati per lavorare in ambulatori e ospedali ubicati in zone interne dei vari stati brasiliani ? Mah…

LASCIA UN COMMENTO

Please enter your comment!
Please enter your name here